Top

Ovos: fonte de colesterol “bom” ou “ruim”

Os ovos são um dos pontos de desacordo, com os vegans e alguns profissionais de saúde a criticarem o efeito sob o colesterol e outros a defender que os ovos são fonte de colesterol “bom” e não “mau”. Em que é que ficamos?

O ovo, especialmente se biológico, é um dos alimentos mais completos do ponto de vista nutricional. A crítica que os ovos aumentam o colesterol e consequentemente prejudicam a saúde é um mito. Uma parte do colesterol vem da dieta e é encontrado nas gorduras animais, enquanto a maior parte é sintetizada pelo próprio organismo. Como uma nação, as autoridades de saúde dizem nos para comermos menos gordura, inclusive a gordura saturada (para mantermos os níveis de colesterol baixos), só que em vez de ficarmos mais saudáveis estamos a ficar mais doentes. Dos estudos atuais, no que diz respeito a gordura saturada, a verdade provavelmente está no caminho do meio: hoje sabemos que não é o nosso inimigo número 1 como também não pode ser considerada uma comida saudável.

Além disso, a adesão a uma alimentação baixa em gordura e rica em hidratos de carbono (pães, massas, arroz, batata, cereais), não coincidiu com uma diminuição nas principais epidemias atuais, nomeadamente a obesidade e doenças cardíacas, mas sim com um aumento. Essa informação deveria fazer uma pessoa a questionar a eficácia dessa recomendação.

Muitos profissionais de saúde referem-se ao LDL como o “colesterol ruim”, mas isso é se ainda acham que o colesterol é o que causa as placas de gordura nas artérias. Pesquisadores descobriram que não é o colesterol transportado pelo LDL que causam as placas mas sim, a própria partícula de LDL. O colesterol agora passou a ser inocente.

Não são todas as partículas de LDL que são perigosas. Algumas dessas partículas são grandes e flutuantes enquanto outras são pequenas e densas. São as pequenas que parecem causar as placas de gordura. Isso é importante saber porque uma dieta rica em farináceos e açúcar além de aumentar os triglicerídeos, também torna o LDL pequeno e denso.

Quanto mais alto o nível de triglicérides na corrente sanguínea maior é a probabilidade de ter um ataque cardíaco e/ ou estar com excesso de peso. Isso nao é controverso. Comer hidratos de carbono refinados em excesso é o que causa isso.

Se for substituir os ovos e o queijo da dieta, por flocos de milho, leite magro e pão, o nível de LDL vai baixar mas os triglicerídeos vão aumentar. E baixar o LDL vai ser compensado por uma coisa ruim, que é aumentar os triglicerídeos.

Baixos níveis de HDL (colesterol bom) também é um fator de risco para a doença cardíaca. Aqueles que têm baixos níveis de HDL tem mais chances de ter um ataque de cardíaco do que aqueles que têm colesterol total ou LDL mais elevados. Quando os cientistas pesquisaram por genes que predispõem indivíduos a ter uma vida longa, mais de 95-100 anos, um dos pouco genes que se destaca é um gene para ter níveis naturalmente altos de  HDL, uma vez que é capaz de absorver as placas de gordura, que são depositados nas artérias, removendo-o das artérias e transportando-o de volta ao fígado para ser eliminado.

Atualmente, são esses 3 fatores que precisamos ter em consideração.