Entrega grátis em Portugal para compras superiores a 40€

 - 
English
 - 
en
French
 - 
fr
German
 - 
de
Italian
 - 
it
Portuguese
 - 
pt
Russian
 - 
ru
Spanish
 - 
es
0
  • No products in the cart.
 

Descubra como prevenir e tratar a queda de cabelo

queda de cabelo

Descubra como prevenir e tratar a queda de cabelo

A queda de cabelo é um sintoma ao qual muitas pessoas se identificam e há várias causas que podem estar relacionadas com essa queda. 

Mas, o que é ao certo? 

A alopecia (queda de cabelo) é uma doença que está relacionada com a queda e/ou enfraquecimento dos fios de cabelo. 

Existem diferentes tipos de alopecia e, dependendo da fase do ciclo de crescimento a que se manifesta, poderá ser ou não reversível.

A alopecia no homem pode iniciar na puberdade e evoluindo até aos 40 anos de idade, enquanto que na mulher, começa nos 20 e tem um pico aos 50 anos, contudo, existe uma maior prevalência no homem em relação à mulher.

E o que poderá levar a esta queda/enfraquecimento?

Existem inúmeras causas que estão associadas, como:

  • Genética;
  • Doenças endócrinas (como alterações no funcionamento da tiróide);
  • Exposição a químicos;
  • Por défice ou excesso de determinados nutrientes;
  • Pós-parto;
  • Stress;
  • Fatores imunológicos;
  • Determinados medicamentos.;

Por haver inúmeras causas, o seu diagnóstico fica dificultado contudo, se analisarmos a composição química do cabelo, torna-se cada vez mais notório que uma abordagem multidisciplinar será o ideal, tendo como um dos aliados a Nutrição.

E qual é a composição química do cabelo?

O cabelo é constituído por carbono, hidrogénio, oxigénio, nitrogénio e enxofre. Para além destes compostos, o cabelo tem também na sua constituição o ferro, cobre, zinco, iodo silício, cálcio, magnésio, diferentes aminoácidos (como é o caso da cistina, serina, glicina, entre outros), proteínas e lípidos (gorduras).

Analisando desta perspectiva, uma abordagem a nível nutricional será relevante no seu tratamento como prevenção.

Se pretende perceber um pouco mais da relação dos nutrientes com a saúde do seu cabelo, ficam descritos com maior :

Proteína

  • Quando existe um défice no aporte de proteínas, leva a que hajam alterações nos fios do seu cabelo, nomeadamente a nível de pigmentação, ficam mais ralos e finos como pode também despoletar uma queda mais acentuada do cabelo;
  • Existem alguns aminoácidos que exercem funções específicas a nível do cabelo, sendo um deles a taurina – efeito protector; 
  • No caso da taurina, este aminoácido é sintetizado a partir de outros aminoácidos (metionina e cisteína) e é também necessário magnésio e piridoxina (vitamina B6) para a sua produção → é uma forma simples de perceber a sinergia que há entre diferentes nutrientes!

Lípidos (ómegas) 

  • As gorduras desempenham inúmeras funções entre elas, a nível de membranas, sistema imunitário e de cofatores enzimáticos;
  • Será importante ter em conta o rácio entre ómega 3 e ómega 6, dando sempre maior prevalência a fontes ricas em ómega-3.

Vitaminas 

  • Vitamina A: envolvida no crescimento e diferenciação celular, manutenção dos tecidos epiteliais e no processo de formação do colagénio.
  • Vitamina C: antioxidantes e necessária para a produção e manutenção do colagénio.
  • Piridoxina (Vitamina B6): coenzima de inúmeras enzimas, regula a acção da progesterona e testosterona como também do metabolismo proteico.
  • Biotina (B7): entra no metabolismo das proteínas e dos hidratos de carbono como  desempenha um papel importante na manutenção e integridade da pele.
  • Ácido pantoténico (B5): coenzima na síntese de ácidos gordos, esteróis e colesterol (que por sua vez levam à formação de hormonas). 

 Minerais

  • Zinco: exerce inúmeras funções no nosso organismo, tanto a nível imunológico, no processo de cicatrização, mas de forma específica para o cabelo, o zinco participa na síntese de queratina e dos ácidos gordos essenciais que protegem o folículo piloso.
  • Ferro: está envolvido na divisão celular no bulbo capilar e, quando os valores de ferritina estão baixos, influencia de forma negativa o tratamento, mesmo que esse tratamento seja específico.

Para além dos nutrientes já mencionados, há também outros com a sua relevância, como é o caso dos compostos fenólicos e polifenóis (nomeadamente as catequinas), bioflavonoides, coenzima Q10 e silício. A água tem também o seu impacto na saúde do seu cabelo!

Após esta “ligação” de determinados nutrientes com a saúde do cabelo é importante ressalvar que é necessário ter uma alimentação equilibrada como “base” e que é importante uma correta ingestão dos nutrientes, quer seja de proteína, gordura mas também de minerais e vitaminas.

É importante que não haja nenhuma carência nutricional mas é também necessário algumas precauções, de forma a que não existam excessos pois, estes mesmos excessos exercem também um efeito negativo!

Tratamento

  • Consulta de nutrição: trabalhar através da nutrição funcional  para determinar as causas da queda de cabelo é o primeiro e melhor passo para descobrir o “porquê” da queda de cabelo do e determinar um plano de tratamento personalizado. E como existem muitos tipos diferentes de queda de cabelo, também existem diversos fatores que causam a queda de cabelo. Esses fatores de perda de cabelo variam de tudo, incluindo problemas autoimunes, desequilíbrios hormonais, problemas de saúde intestinal, resistência à insulina, toxicidade ambiental e muito mais.
  • Microagulhamento capilar: estimula a produção de colágeno e melhora a saúde do couro cabeludo de forma a tratar e prevenir a queda de cabelo, mantendo o fio saudável por muito mais tempo. É uma ferramenta segura e promissora na estimulação dos cabelos. Ela traz fluxo sanguíneo e nutrientes para o couro cabeludo e induz novas células-tronco que auxiliam no crescimento dos cabelos.
  • Suplementos: um suplemento com biotina, queratina, peptídeos de colágeno, ácido hialurônico ou qualquer combinação dos micronutrientes mencionados acima, pode ajudar o cabelo a crescer mais e mais forte em apenas algumas semanas. A chave para obter os melhores resultados? Ser consistente com a toma e comprometer-se a tomá-los diariamente por pelo menos seis meses.

 

×