Entrega grátis em Portugal para compras superiores a 40€

 - 
English
 - 
en
French
 - 
fr
German
 - 
de
Italian
 - 
it
Portuguese
 - 
pt
Russian
 - 
ru
Spanish
 - 
es
0
  • No products in the cart.

Probióticos e a síndrome do intestino irritável

O que são probióticos?

São microrganismos vivos que, quando administrados em quantidades adequadas, tem um impacto positivo na saúde. Para obter benefícios na função intestinal, concentrações suficientes de microrganismos em um suplemento probiótico, devem conseguir sobreviver ao trânsito pelo trato gastrointestinal.

Qual é o papel dos probióticos na síndrome do intestino irritável?

Os probióticos podem afetar os sintomas da síndrome do intestino irritável de várias maneiras. Entretanto, é importante saber que cepas probióticas diferentes, tem ações diferentes. Alguns dos efeitos dos probióticos são:

  1. Alteração da composição da microbiota intestinal: em estudos, foram observadas diferenças entre a microbiota de pessoas com a síndrome do intestino irritável e adultos saudáveis ​​e já foi proposto que isso pode ser uma possível causa dessa disfunção. Os probióticos podem corrigir a disbiose (alterações no número e composição de bactérias) de duas maneiras: promovendo a colonização do intestino com bactérias “boas” que podem estar em falta e / ou estimulando o crescimento dessas bactérias na microbiota. Essas alterações na composição podem melhorar o funcionamento da microbiota intestinal residente.
  2. Modulação da parte imunitária intestinal ou função de barreira: o intestino é o órgão relacionado com a função imune mais importante do corpo, isso porque cerca de 60% de todas as células imunes estão presentes na mucosa intestinal. Sugere-se que as várias estirpes de Bifidobacterium (Bifidobacterium infantis 35624; B. longum W11 e B. longum NCIMB 8809 e BIF53) modulam a parte imunitária dos intestinos. Essas cepas tendem a promover um perfil imunológico mais “anti-inflamatório” do que “pró-inflamatório”. Além disso, L. plantarum 299v pode aumentar a produção de mucosa intestinal para melhorar a função de barreira.
  3. Influenciar os principais mecanismos da síndrome do intestino irritável: algumas cepas probióticas também podem afetar a motilidade intestinal e a sensibilidade visceral. Em um experimento foi observado que a bactéria Escherichia coli Nissle 1917 aumenta a contratilidade em células musculares isoladas. Por outro lado, um produto de leite fermentado contendo B. lactis DN-173-010 mostrou reduzir o tempo do trânsito colônico. Essas alterações foram associadas a um aumento na frequência da defecação. Outras cepas probióticas (L. acidophilus NCFM, L. paracasei NCC2461 e uma preparação multiespécies, VSL # 3) demonstraram melhorar a sensibilidade visceral em pessoas que sofrem dessa disfunção.

Eficácia

Numerosas preparações probióticas de linhagem única e multiespécies foram estudadas em relação aos sintomas gastrointestinais funcionais. Essas cepas probióticas, juntamente com a dose, a duração do tempo de tratamento e os resultados, estão resumidas na tabela no final deste artigo, que considera apenas cepas probióticas que têm evidências de eficácia de pelo menos um estudo clínico randomizado realizado em participantes com distúrbios funcionais do intestino.

Quanto a eficácia dos probióticos no tratamento da síndrome do intestino irritável, é importante saber que:

  • O alívio dos sintomas é, na maior parte das vezes, moderado. A maioria dos estudos relata pequenas diferenças em resposta ao tratamento com probióticos e placebo (<10 a 30%).
  • Os benefícios podem demorar para aparecer, geralmente após 4 semanas de terapia.
  • Probióticos multiespécies não são mais eficazes que probióticos de linhagem única. Uma crença comum é que mega-doses de probióticos multi-cepa são superiores aos probióticos de cepa única. No entanto, essa crença parece equivocada, com benefícios mais consistentes em estudos que usaram probióticos de estirpe única. Assim, a cepa de probiótico presente no suplemento pode ser mais relevante que o número de cepas.
  • Pouco se sabe sobre os tipos de pacientes, que sofrem da síndrome do intestino irritável, que podem melhorar com essa terapia. Os probióticos podem beneficiar aqueles com evidências de alterações no microbioma, como na síndrome do intestino irritável pós-infecciosa. No entanto, mais pesquisas são necessárias para explorar essa indicação. Os probióticos também podem ser úteis para melhorar as alterações na microbiota intestinal observadas após uma dieta baixa em FODMAP.

Segurança

Até a data presente, as evidências indicam que o uso de probióticos em pacientes com SII é seguro, mas sem a presença de outras doenças. Um agravamento nos sintomas intestinais, são os efeitos adversos mais comuns relatados nos estudos realizados.

 

Produto probiótico Fórmula Dosagem Resultados
Bifidobacterium infantis 35624 or  Bifantis® Cápsula (1 1 x 108 x 1010 ufc)
ou bebida maltada de leite (1 x 1010 ufc)
1 cápsula / d para 4 semanas

ou 1 bebida / dia por 8 semanas

  • Melhoria de 30% nos sintomas gerais da SII
  • Os sintomas melhoraram significativamente após 4 semanas
  • Benefício inconsistente nos hábitos intestinais
Bifidobacterium lactis I-2494 (DN-173 010) or Activia® Probiótico fermentado iogurte
(1,25 x 1010 ufc)
1 x 125g de um potinho por 6 semanas
ou 1 x 125g potinho / d por 4 semanas
  • Melhora apenas no desconforto abdominal
  • Benefícios inconsistentes na gravidade geral dos sintomas ou dor abdominal
  • Em pessoas com desconforto abdominal, mas sem diagnóstico, alto nível de evidência de eficácia
Multi-species VSL#3® Pó em saquetas
(45 x 1010 ufc / d)
1 saqueta / d por 8 semanas
  • Benefícios modestos observados na flatulência e inchaço abdominal
  • Nenhum benefício em outros sintomas
Lactobacillus plantarum 299V or ProViva® Bebida de Rosa Mosqueta
(5 x 107 ufc / ml) ou sumo probiótico
400 ml / d por 4 semanas
  • Benefícios inconsistente nos sintomas gerais de SII e dor abdominal
  • Redução de 50% na frequência de flatulência
Saccharomyces boulardii or Bioflor® Cápsula (2 x 1011 ufc)
ou saqueta
1 sachet or capsule BD for 4 weeks
  • Melhoria de 8% na qualidade de vida das pessoas com  SII em relação ao placebo
  • Não há outros benefícios gerais em sintomas da SII

fonte: probiotics fact sheet, Monash University

×