Entrega grátis em Portugal para compras superiores a 40€

 - 
English
 - 
en
French
 - 
fr
German
 - 
de
Italian
 - 
it
Portuguese
 - 
pt
Russian
 - 
ru
Spanish
 - 
es
0
  • No products in the cart.

Tem dificuldade em emagrecer? Você pode estar a sofrer de hipotireoidismo subclínico.

A ideia de escrever um artigo sobre hipotiroidismo subclínico surgiu depois de atender várias pacientes que mesmo com cuidados na alimentação e com a prática de atividade física regular, tem dificuldade em perder peso. No início da consulta, eu geralmente consigo perceber se uma pessoa engordou devido a uma alimentação inadequada ou por problemas emocionais. Mas nenhum desses motivos justifica  ter sido a causa, eu peço para minhas pacientes responderem um “pequeno” formulário de 7 páginas para determinar se algum hormônio está em desequilíbrio.

Além da dificuldade em perder peso, o hipotiroidismo subclínico e o hipotireoidismo, geralmente apresentam outros sintomas: obstipação, cansaço, ansiedade, depressão, sensibilidade ao frio e cabelos fracos. Clique aqui para ver uma lista mais completa dos sintomas.

Doenças da tireóide são comuns no mundo ocidental. É estimado que 1 milhão de portugueses sofrem de doenças da tireóide. Um estudo realizado pela a Associação das Doenças da Tiróide (ADTI) divulgou um estudo sobre a percepção e conhecimentos dos portugueses face às doenças da tiroide, com base em 700 entrevistas. Dos entrevistados, ⅓ desconhecem os sintomas dessas doenças.1 No Reino Unido, 3% da população está a tomar algum tipo de medicamento para a tireoide e nos Estados Unidos, 12% da população têm algum tipo de doença da tireoide e desses 12%, 60% não foram diagnosticadas. O hipotiroidismo é mais prevalente em mulheres e o risco de ter alguma disfunção aumenta com a idade. Mulheres na menopausa, grávidas e mães recentes também estão em risco. 2-5

Porque essa doença muitas vezes passa despercebida?

Os sintomas do hipotiroidismo e o hipotiroidismo subclínico, como ansiedade e desânimo, também são sintomas comuns da depressão e da menopausa. Nesse caso, é comum as pessoas iniciarem um tratamento com antidepressivos e ansiolíticos sem estar a tratar a verdadeira causa do problema.6-7

Por isso, se suspeita ter algum problema na tireóide, é melhor consultar um endocrinologista, que é um médico especialista em hormônios, em vez de um médico de família e uma das razões principais é devido aos novos valores de referência das análises de sangue.

A controvérsia das taxas de referência das análises de sangue.

Uma das formas de diagnosticar o hipotireoidismo é através dos níveis de hormônio tireoestimulante (TSH). A taxa de referência atual do TSH (hormônio Tireoestimulante) é de 0.4-4.5 mIU/L. Porém esses valores têm sido tópico de discussão há muitos anos.  

Em 2002, um estudo realizado nos Estados Unidos, (the National Health and Nutrition Examination Survey—NHANES III), demonstrou que a taxa de referência de TSH em pessoas normais era em média 1.47mIU/L.8 Depois disso, a  American Association of Clinical Endocrinologists (AACE) recomendou que a taxa fosse reduzida para 3mIU/L e outros grupos sugeriram que baixasse para 2.5mIU/L.9-11

Uma pessoa saudável, tem as taxas de TSH entre 0.3-2.5mIU/L e T4 livre e T3 livre normais.

Uma pessoa com hipotireoidismo subclínico apresenta o TSH maior que 2.5-3mIU/L e T4 livre e T3 livre normais ou reduzidos.

Uma pessoa com hipotireoidismo apresenta o TSH maior que 5-10mIU/L e T4 livre e T3 livre reduzidos.

Alguns médicos são relutantes em tratar uma taxa abaixo de 4.5mIU/L por acreditarem que o tratamento poderá não ser benéfico. Outros, podem nem estar cientes dos novos valores de referência.

É importante também ser testado por T4 livre, T3 livre e T3 reverso, assim como os anticorpos para despistar a  tireoidite de Hashimoto.

Outra forma de ver se está a sofrer de problemas na tireóide é medir a temperatura durante 3-4 dias. Tenha um termômetro digital ao lado da cama. Assim que acordar,meça a temperatura axilar. O ideal é temperatura estar entre os 36.4ºC e 36.8ºC. Se a temperatura estiver constantemente abaixo dos 36.4ºC, pode indicar uma disfunção na tireóide e os resultados devem ser levado em consideração em combinação com as análises de sangue e o levantamento dos sintomas.

Nós podemos nos sentir bem em qualquer idade.

A glândula da tireoide secreta hormônios que regulam a atividade de várias células do nosso corpo. Quando está a funcionar bem temos energia, pensamos claramente, temos um bom libido, nosso sistema digestivo é regular e é mais fácil de gerir o peso. Por isso, caso sinta-se em baixo, esgotada e / ou cansada não aceite isso como sintomas da velhice. Procure tratamento e se for necessário, mostre os estudos para o seu médico.  

O hipotiroidismo e o hipotiroidismo subclínico estão associados com o ganho de peso e ter peso em excesso aumenta as chances de vir a ter problemas no coração. Por isso, quando mais cedo o diagnóstico, melhor.14-17

 

Referências

1http://lifestyle.sapo.pt/saude/noticias-saude/artigos/um-terco-desconhece-sintomas-das-doencas-da-tiroide-que-afetam-um-milhao-em-portugal

2  Goolsby, M. J. and Blackwell, J. (2004), Evaluation and Treatment of Hyperthyroidism and Hypothyroidism. Journal of the American Academy of Nurse Practitioners, 16: 422–425. doi: 10.1111/j.1745-7599.2004.tb00418.x http://onlinelibrary.wiley.com/doi/10.1111/j.1745-7599.2004.tb00418.x/full

3 Kvetny J. Nuclear thyroxine and triiodothyronine binding in mononuclear cells in dependence of age. Horm Metab Res. 1985 Jan;17(1):35-8 Nurse Practitioners, 16: 422–425. doi: 10.1111/j.1745-7599.2004.tb00418.x https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/2981761

4 Gregerman RI, Gaffney GW, Shock NW, Crowder SE. Thyroxine turnover in euthyroid man with special reference to changes with age. J Clin Invest. 1962 Nov;41:2065-74 https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC291136/

5 Katzeff HL. Increasing age impairs the thyroid hormone response to overfeeding. Proc Soc Exp Biol Med. 1990 Jul;194(3):198-203 https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/2356189

6 Whybrow PC, Bauer M. Behavioral and psychiatric aspects of hypothyroidism. In: Braverman LE, Utiger D, eds. The Thyroid: A Fundamental and Clinical Text. Philadelphia: Lippincott Williams & Wilkins;2000. pp. 837–842 https://www.ncbi.nlm.nih.gov/books/NBK285561/

7 Gulseren, S., et al. Depression, Anxiety, Health-Related Quality of Life, and Disability in Patients with Overt and Subclinical Thyroid Dysfunction. Archives of Medical Research. 2006; 37(1):133–139 https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/16314199

8 Hollowell JG, Staehling NW, Flanders WD, Hannon WH, Gunter EW, Spencer CA, Braverman LE: Serum TSH, T4, and Thyroid Antibodies in the United States Population (1988 to 1994): National Health and Nutrition Examination Survey (NHANES III). J Clin Endocrinol Metab 2002;87:489-499. https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/11836274

9 Demers LM, Spencer CA. Laboratory medicine practice guidelines: laboratory support for the diagnosis and monitoring of thyroid disease. Clin Endocrinol (Oxf). 2003;58:138–40 https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/12580927

10 https://www.aacc.org/publications/cln/articles/2013/may/tsh-harmonization#ref

11 https://www.aace.com/files/hypothyroidism_guidelines.pdf

12 http://www.rewiredliving.com/hypothyroidism-the-undiagnosed-disorder/

13 Gottfried, S., (2013): The Hormone Cure. Estados Unidos.

14  Ruhla S, Weickert MO, Arafat AM, Osterhoff M, Isken F, Spranger J, Schöfl C, Pfeiffer AF, Möhlig M. A high normal TSH is associated with the metabolic syndrome. Clin Endocrinol (Oxf). 2010;72(5):696-701 https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/20447068

15 Lauberg, P., et. Al Thyroid Function and Obesity. Eur Thyroid J 2012;1:159–167. DOI: 10.1159/000342994

16 Klein I, Danzi S. Thyroid disease and the heart. Circulation. 2007;116:1725–1735. https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/17923583

17  Danzi S, Klein I. Thyroid hormone and the cardiovascular system. Minerva Endocrinologica. 2004;29:139 –150. 4 http://citeseerx.ist.psu.edu/viewdoc/download?doi=10.1.1.334.5896&rep=rep1&type=pdf

×